YÔGA E SEXO TÂNTRICO – MESTRE DeRose – O MEU MESTRE


 

  

YÔGA E SEXO TÂNTRICO

 MESTRE DeRose

 O MEU MESTRE

 

Em Outubro de 1997, fiz o Curso de Iniciação a Instrutores de Yôga, com o Mestre DeRose, no Porto – Portugal

  

Tenho os livros do Mestre DeRose e recomendo…

Ao ver este interessante artigo na revista “MÁXIMA”, entendi colocá-lo neste espaço, pela qualidade que tem…

  

Irene Guimarães

06 de Dezembro de 2010 – TROFA – PORTUGAL

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Fonte:

 Artigo da revista “MÁXIMA”

 
 
É a busca do prazer máximo e duradouro.Uma filosofia milenar para o mundo de hoje.Conheça os segredos do sexo tântrico. …
Por Filipa Veiga
Conselhos por Sónia Vipassana para quem queira iniciar a prática.
1. Respire: perceba a vida fluir-lhe através de si e através da respiração, o ar que entra e o ar que sai, sem esforço… Sinta-se presente e vivo.
2. Olhe-se ao espelho e pergunte: eu amo-me realmente, amo a vida e a tudo o que ela representa?
3. Ainda em frente ao espelho: olhe-se nos olhos e abra-se para perceber o que sente.
4. Respire mais uma vez e saia para caminhar e comece a observar os presentes que a vida lhe dá.
Depois, se sentir vontade, inscreva-se num grupo de tantra, ou vá fazer uma massagem tântrica para sentir seu corpo vivo. Descubra como é bom amar e viver plenamente, sem máscaras nem mentiras.

“Sinto-me muito feliz por ter investido com o meu futuro marido em sessões de tantra; marcou para a vida um maravilhoso ritmo de comunicação e de exploração ao nosso casamento.”

Bárbara é uma das poucas praticantes portuguesas que acede a desvendar a sua intimidade tântrica. Por cá ainda é uma prática pouco comum, sempre muito intimista, quase misteriosa, mas só até ser conhecida, porque, como ela diz, “quando conheci e percebi, perguntei-me o que andava a fazer antes. É uma explosão interior e um renascimento. Sinto-me mais completa”.

Foi sempre uma prática de conhecimento secreto, de mestre para discípulo. É uma das filosofias mais antigas da Índia e surgiu há mais de cinco mil anos, de base matriarcal. A mulher é admirada como divindade.

“Os povos da Índia da época dravídica e pré-dravídica [século II a.C.] viviam numa sociedade na qual a mulher ocupava um lugar de destaque. Sempre que a cultura não é centrada na guerra, valoriza a mulher e chega mesmo a divinizá-la, pois é capaz de algo que o homem não compreende nem consegue: dar vida a outro ser humano e depois alimentá-lo”, explica Luísa Sargento, Consultora de Qualidade de Vida no Centro DeRose, licenciada em Estudos Europeus e especializada em tantra há 10 anos.

Mas o homem não fica esquecido, já que através das práticas tântricas, “a mulher desperta o poder interno do homem, pois o princípio-base de todas as escolas tântricas são os dois pólos opostos”, explica Luísa Sargento. Homem e mulher são como a fusão entre as duas forças do mundo e “mantêm a coesão do Universo, sem a qual não haveria harmonia no cosmos”, continua.

“É sexo sagrado”, conta-nos Shanti Owen, antes Patty Owen, modelo famosa nos anos 80 que deixou a carreira de actriz para seguir a filosofia tântrica. Com o marido diz ter descoberto uma nova intimidade. A vida mudou em tudo. Hoje sente “mais alegria e paz interior, mais saúde física, mental e emocional, muito melhor sexo em geral e orgasmos mais profundos”.

                           

 

Que prática é esta que tem ganho adeptos em todo o mundo? Sting trouxe o sexo tântrico para as luzes da ribalta ao confessar-se um praticante da disciplina e ao descrevê-lo como uma longa viagem. Patty Owen, aliás Shanti, adverte que “não é para one-night-stand-people. A maioria das práticas tântricas envolve contemplação, contacto prolongado olhos nos olhos, que só pessoas com grande intimidade entre si conseguem”.É o prazer sem pudor. Ao contrário de muitas tradições espirituais que condenam o sexo, o tantra utiliza-o como ferramenta. Ou seja, fazer amor é um caminho para o desenvolvimento. “O tantra usa a energia sexual para a elevação espiritual e não é preciso fazer muito sexo para elevar esta energia… mas é importante viver a sua sexualidade para depois poder transcendê-la e entrar na verdadeira meditação tântrica que transforma o sexo em amor e em meditação”, explica Sónia Vipassana, consultora e terapeuta tântrica.

Energia é a palavra-chave. “A prática do tantra tem por objectivo o desenvolvimento harmonioso e integral de todos os aspectos do ser: físico, emocional, mental e espiritual; assim trabalha o despertar da energia vital em cada ser, a sua elevação até à realização ou iluminação do indivíduo”. Por isso, a disciplina tântrica eleva os impulsos e os desejos sexuais ao seu mais alto nível. Os corpos são puros, quase sagrados, idolatrados na sua essência e funções.
O que significa isto na prática? Se pensarmos que uma relação sexual no ocidente dura em média 15 minutos e que o sexo tântrico deve durar, pelo menos, duas horas, muito já fica dito. Aqui quanto mais tempo durar, mais prazer proporciona. A ejaculação não é o único motivo da relação sexual, bem pelo contrário. O tantra encoraja o homem a fazer com que a sua companheira se sinta divina. Portanto, a ejaculação é considerada um desperdício de energia vital e por isso ele deve aprender a adiá-la.

A terapeuta Sónia explica que as pressas são proibidas e que o caminho pode ser longo e até complexo. “Existem várias etapas a seguir, não se chega ao topo de um dia para o outro. Para se atingir um equilíbrio energético e emocional é preciso, em primeiro lugar, fazer um trabalho de autoconhecimento e curar as feridas emocionais.” É necessária predisposição para estar em paz consigo e com o que a rodeia.

“Os primeiros exemplos de homem e mulher foram o nosso pai e a nossa mãe. Se ainda tivermos alguma mágoa, ressentimento ou raiva em relação a eles, não estaremos prontos para um relacionamento verdadeiro e transparente com o parceiro e iremos projectar estas dores antigas para quem está ao nosso lado. É preciso harmonia com a constelação familiar. O verdadeiro equilíbrio energético acontece quando nos aceitamos com todo o nosso bem e com todo o nosso mal. Só aí seremos honestos, verdadeiros e amorosos. Depois poderemos partilhar amor, vida, prazer e alegria, incluindo a vida sexual.”

                           

É um modo de estar em que tudo é aprendizagem, nada é bom ou mau, só temos de aprender a aceitar. “Este sim é fruto do autoconhecimento, desenvolvimento e expansão da consciência, da sensibilidade, naturalidade, totalidade e presença em todos os aspectos da vida, enfim, é fruto do amadurecimento do ser.”

Há muitas distorções sobre o que é o tantra. Não há nada de luxúria e é falso dizer que é só sexo. Aqui o carinho mútuo e a sensibilidade compartilhada são fundamentais.

É importante sentir-se leve, ágil e livre. Alimente-se de forma saudável, sem excessos. Depois proporcione ao seu companheiro um ambiente tranquilo, acolhedor, com música suave. Partilhe o momento, abra os olhos e o coração. Relaxe. Acenda umas velas e espalhe pétalas de flores. Alterne o tempo de actividade sexual com descanso. E deleite-se com o maremoto do prazer porque esta é a filosofia da expansão e da libertação. “É a mais rica, a mais poética e artística tradição cultural da Índia”, conclui Luísa Sargento. Não há censuras nem sentimentos de culpa. “É uma cultura que demonstra que a evolução do ser humano acontece através da libertação e do prazer em tudo aquilo que se faz: numa conversa com um amigo, numa refeição ao saborear cada uns dos alimentos, a observar a Natureza, a olhar uma obra de arte.”

“Sinta-se presente”, aconselha Sónia Vipassana, “em tudo o que faz, esse é o início. Ocupe o corpo, sinta a respiração e aos poucos alinhe-se com a vida.” Esteja.

 BENEFÍCIOS DO TANTRA por Luísa Sargento:
· Aumenta a sensorialidade
· Leva ao autoconhecimento
· Valorização do papel da pessoa na sociedade
· Mais liberdade
· Mais respeito por si e pelo outro
· Mais força, energia e poder
· Contentamento
· Felicidade

 MUDE DE HÁBITOS antes de começar:
· Evite noitadas ou outros excessos
· Fundamental manter o equilíbrio emocional e psicológico
· Tente relaxar o mais possível
· Faça uma alimentação equilibrada
· Pratique suaves exercícios físicos e respiratórios duas a três vezes por semana
· Durma oito horas por dia
Adquira um bom livro sobre o tema e/ou inscreva-se num curso

Onde recolher informação:
Tantra, a sexualidade sacralizada, DeRose
Prazer: um caminho para o autoconhecimento, Clélio Berti
Yôga, Tantra, Sámkhya, Sérgio Santos
Tantra, o culto da feminilidade, Van Lysebeth
A tradição do Yôga, G. Feurstein
http://www.tantra.com

 
Etiquetas: Sexo Tântrico; Sexualidade; Relacionamentos;
 

About these ads

Um Comentário (+adicionar o seu?)

  1. Paulo Jorge
    Dez 28, 2010 @ 22:29:24

    gostária de saber se o site neotantra é fas parte da uni-yoga meia esquesita a pergunta é que gostária de me filiar ao site obrigado Swásthya!

    Responder

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

%d bloggers like this: